quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Mario Quintana, Nando Reis e o amor

Este post é dedicado a Bruno.

Imagem do flickr - JFabra



Como é que os poetas amam? Os poetas sabem amar? Será que eles recitam versos na cama, fazem serenatas, matam-se por amor?

Vinicius de Moraes amou muitas mulheres... Casou-se nove vezes! Dizem que Carlos Drummond de Andrade teve uma amante. Mario Quintana não se casou nem teve filhos.

Mas o que é o amor? 

Há pessoas que, poetas ou não, sabem melhor falar de amor do que senti-lo. Prová-lo. Deixá-lo ser amor e deixá-lo ser amado.

Eu não sei definir o amor. Eu não desejo tentar. O que eu quero - só o que eu quero - é botar pra fora, entregar pra quem eu amo. Fazer acontecer.

O amor é um verbo que só existe quando se conjuga.

***

Hoje estava lendo o meu Quintana de bolso (L&PM POCQUET) e me ocorreram esses pensamentos. Lembrei de uma música do Nando Reis que diz assim: "Tornar o amor real é expulsá-lo de você/pra que ele possa ser de alguém".  Daí nasceu esse post.

***

Presença (Mário Quintana)
Para Lara de Lemos

É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,
teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento
das horas ponha um frêmito em teus cabelos...
É preciso que a tua ausência trescale
sutilmente, no ar, a trevo machucado,
a folhas de alecrim desde há muito guardadas
não se sabe por quem nalgum móvel antigo...
Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela
e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
É preciso a saudade para eu sentir
como sinto - em mim - a presença misteriosa da vida...
Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista
que nunca te pareces com o teu retrato...
E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te!

(publicado no livro Apontamentos de História Sobrenatural e no Quintana de bolso - Rua dos Cataventos e outros poemas)

Quem vai dizer Tchau (Nando Reis)
Quando aconteceu? Não sei.
Quando foi que eu deixei de te amar?
Quando a luz do poste não acendeu
Quando a sorte não mais soube ganhar
Não..
Foi ontem que eu disse não..
Mas quem vai dizer tchau?
Onde aconteceu? não sei.
Onde foi que eu deixei de te amar?
Dentro do quarto só estava eu
Dormindo antes de você chegar..
Mas não..
Não foi ontem que eu disse não..
Mais quem vai dizer tchau?
A gente não percebe o amor
Que se perde aos poucos sem virar carinho.
Guardar lá dentro amor não impede,
Que ele empedre mesmo crendo-se infinito.
Tornar o amor real é expulsá-lo de você,
Prá que ele possa ser de alguém!
Somos se pudermos ser ainda
Fomos donos do que hoje não há mais.
Houve o que houve é o que escondem em vão,
Os pensamentos que preferem calar,
Se não, irá nos ferir um não -
Mas quem não quer dizer tchau.
A gente não percebe o amor
Que se perde aos poucos sem virar carinho.
Guardar lá dentro amor não impede,
Que ele empedre mesmo crendo-se infinito.
Tornar o amor real é expulsá-lo de você,
Prá que ele possa ser de alguém!
Possa ser de alguém
Possa ser de alguém
Ser de alguém!
Oh! Não!
(Gravada no CD Luau MTV- Nando Reis e os Infernais)

3 comentários:

Bruno disse...

Muito bom. Sempre lembro dos Titãs, com aquela passagem "não existe o amor, existem provas de amor", que passa bem a noção de amor como prática, não como idéia. Te amo.

Bia Loivos disse...

Também lembrei dessa música dos titãs enquanto escrevia o post :D

Tem amo.

゚✿ Viviane Nunes ✿゚ disse...

A foto, perfeita!
O amor?
Drummond: "Amor é privilégio de maduros (...)Amor é o que se aprende no limite, depois de se arquivar toda a ciência herdada, ouvida. Amor começa tarde".

bjo