sábado, 22 de janeiro de 2011

Metapoesia

Bia Loivos
As palavras não têm dono; têm, no máximo, guardiães. 
Passam de boca em boca, promíscuas, tecendo sentidos. 
As palavras são do mundo. 
As letras do epitáfio são as mesmas da poesia. 
As palavras não têm escolha nem senso estético. 
É preciso quase morrer para fazer poesia!
Pois a poesia só se faz com a alma em carne viva; bruscamente.

3 comentários:

Lica Richa. disse...

Aiai..

A poesia tem que nascer com dor de parto!


Adoro!

=)

Ada disse...

Gostei da poesia.. tem força. Estou te seguindo. Bj

Ariel R. disse...

Nós, guardiões das palavras, as tecemos em versos.